Entrevista do Mês: Aline Benites, farmacêutica e consultora em diabetes do 0800 da BD

Olá, pessoal

Em um dos encontros de blogueiros realizados pela BD foi falado sobre o 0800 deles que ajuda pessoas com dúvidas sobre diabetes. Eu já falei sobre esse serviço aqui, mas hoje publico uma entrevista com a farmacêutica de lá, Aline Benites. Confiram!



A Diabetes e Eu: Qual é o objetivo principal do 0800 da BD? Com que intenção ele foi criado?
Aline Benites: O Centro BD de Educação em Diabetes foi criado no final da década de 80, com o objetivo de fornecer informações educativas sobre os avanços no tratamento do diabetes, desenvolver pesquisas junto à área médica e atividades educativas, ampliar conhecimentos e habilidades relativas ao controle adequado do diabetes mellitus, atingindo portadores de diabetes, familiares, profissionais de saúde, associações e a comunidade em geral.

ADeE: De que maneira os atendentes ajudam as pessoas que ligam?
Aline Benites: Para realizar as atividades educativas, o Centro BD conta com profissionais técnicos, consultores educacionais em diabetes, que realizam o atendimento ao cliente por meio do 0800 e do e-mail.
Os principais serviços do Centro BD oferecidos pelo 08000 11 5097 são: atendimento telefônico gratuito, para orientar e esclarecer dúvidas sobre diabetes e a utilização de produtos para o tratamento; fornecimento de material educativo para profissionais de saúde e consumidores; e indicações de drogarias, lojas especializadas e associações de diabetes, em caso de dúvidas sobre onde comprar. Além disso, fazemos capacitações com a realização de cursos, palestras e oficinas para profissionais de saúde, portadores de diabetes e familiares em estabelecimentos de saúde, instituições de ensino e associações de diabetes.

ADeE: Que tipo de perguntas os usuários fazem?
Aline Benites: Os usuários tem muita dúvida quanto ao local de compra dos produtos, pois muitos iniciaram o tratamento a pouco tempo e não sabem que as agulhas e seringas BD são vendidas em praticamente todas redes de farmácia. Além disso, surgem perguntas sobre os produtos e suas utilizações, técnica de aplicação de insulina, questões sobre a doença e sobre alimentação. Outra dúvida constante é em relação à reutilização de seringas e agulhas, pois muitos profissionais recomendam o reuso, sem conhecer os prejuízos e consequências causados pela prática. Sempre informamos que as agulhas e seringas são descartáveis, ou seja, devem ser utilizadas apenas uma vez, já que perdem sua esterilidade após o primeiro uso, dentre outros problemas.

ADeE: Quais as principais dúvidas que chegam ao 0800?
Aline Benites: As principais duvidas são em relação ao preparo e aplicação de insulina. Muitos usuários questionam se podem utilizar as agulhas mais curtas, como a BD Ultra-Fine Nano 4mm (agulha para caneta) e a BD Ultra-Fine 6mm (seringa). A resposta é sempre sim! Explicamos que depois de estudos realizados em 2010 foi comprovado que agulhas mais curtas são mais seguras e tão eficazes quanto as mais longas, isso porque reduzem o risco de aplicação intramuscular, além de oferecerem maior conforto. O controle glicêmico é tão eficaz quanto quando utilizadas agulhas curtas. E além de servirem para todas as pessoas, explicamos que as agulhas BD servem em todas as canetas de insulina.

ADeE: Qual o caso mais complicado que atendeu?
Aline Benites: Um atendimento complicado foi quando uma mãe de uma criança de apenas 4 anos de idade, com diabetes, contatou o centro BD procurando uma solução, já que seu filho tinha muito medo das aplicações, chorava muito e era extremamente resistente às injeções. Ela relatou que certas vezes a criança se escondia e até corria na hora de injetar a insulina. Após uma breve investigação, percebeu-se que a criança utilizava agulhas de 12,7mm, que além de não serem recomendadas para esta faixa etária, provocam maior desconforto. Recomendamos que ela utilizasse a BD Ultra-Fine Nano 4mm, que comprovadamente gera menor medo, é mais confortável, e segura. Após algum tempo a mãe entrou novamente em contato e nos relatou que o medo das aplicações diminuíra consideravelmente, principalmente devido a diminuição da dor.

ADeE: Já teve algum caso inusitado, engraçado?
Aline Benites: Engraçados não, mas é muito inusitado o fato de que alguns pacientes ligam com muita frequência, pois gostam da atenção oferecida nos atendimentos. Ficamos bastante satisfeitos em saber que eles confiam em nosso atendimento e expertise.

ADeE: Algum caso já te emocionou?
Aline Benites: Sim. Uma senhora de idade avançada entrou em contato com o centro BD de educação em diabetes há cerca de 2 meses com dúvidas sobre como conectar a agulha na caneta de insulina. Um fator era determinante para sua dificuldade: ela era deficiente visual. Mesmo por telefone, conseguimos ajudá-la a entender como o produto deveria ser conectado, e após alguns minutos de determinação, ela conseguiu. Ela ficou muito satisfeita, e para nós foi muito gratificante e emocionante poder ajudá-la.

ADeE: Em que situações, por exemplo, o 0800 não consegue ajudar as pessoas que ligam? Ou seja, quando não adianta ligar para o 0800 e é melhor procurar um especialista no caso.
Aline Benites: Nos casos de duvida quanto a diagnóstico. Ocorrem ligações de pessoas que realizaram teste de glicemia capilar e tem dúvidas sobre se o resultado indica ou não diabetes. Orientamos que o diagnóstico só pode ser realizado através de exames laboratoriais. Também ocorrem ligações de pessoas que querem comprar produtos diretamente da BD. Informamos que nossos produtos estão disponíveis para compra em redes de drogarias e lojas especializadas.

Espero que tenham gostado! =D

Bjinhus,

Luana Alves

Tenho mania de escrever e de ver sempre o lado bom das coisas. Com diabetes desde 2010, acredito que uma vida controlada e divertida é possível sim. Jornalista, creio que posso ajudar os outros a acreditar também. Que saber mais sobre mim? Clica aqui!

2 comentários:

  1. Bem legal essa entrevista! É muito bom aprender um pouco mais sobre o Diabetes. Parabéns!

    ResponderExcluir