Diabetes, natal, ceia e uma hipo de 30

Olá, pessoal

Então foi o Natal! Antes de mais nada espero que todos tenham passado um dia lindo ao lado das pessoas que amam!!

O meu Natal, graças a Deus, foi maravilhoso! Divertido, animado, com amigos e familiares e muito bagunça! É, porque minha família, é sem freio.

Aí você me pergunta: e aí? Como foi? Como lidou com ceia, comilança e tudo o mais??? E eu te respondo: como sempre lido com tudo quando o assunto é alimentação e diabetes: Com Parcimônia!

Medi normalmente, tomei a insulina normalmente, até contei os carboidratos... Antes da ceia estava alta, com certeza por causa das uvas que belisquei. Estava 210. Corrigi e tomei uma dose fixa, como tenho feito agora... É claro que eu acabei esquecendo de medir a pós depois da ceia, por conta da festa, mas medi antes de dormir... E acreditem: eu estava com uma hipo de 60!!! Corrigi e até comi um chocolatinho!

Acordei com glicemia 84! Olha que beleza! Mas estava enjoada e acabei passando mal. Vomitei e quando sai do banheiro estava me sentindo muito estranha. Estava vendo tudo com muita claridade, tudo muito branco e reluzente. Achei que minha pressão tinha caído, medi e estava 12 por 7, mais normal do que o normal.

Então medi a glicemia e aí veio o susto: 30! Fiquei desesperada, comecei a comer tudo que via. Minha mãe me deu dois copos de suco normal de uva. Nunca tinha tido uma hipo tão baixa! Fiquei muito assustada. Minha visão super clara e a sensação de que apagaria a qualquer momento... Foi horrível!

natal, diabetesUns 15 minutos depois, ainda estava em 64. Mas resolvi não comer mais nada, porque tinha consciência de que tinha comido demais. Dois copos de suco normal, quatro minicroissant e algumas cerejas (frutas mesmo, não em caldas). Antes de almoçar, mais ou menos duas horas e meia depois do ocorrido, a glicemia estava 122... Ufa!

Depois que a glicemia começou a subir e eu fui me acalmando fiquei muito mole. Corpo super pesado, uma baita sonolência. Dei graças porque estava em casa... E acabei ficando com isso o dia inteiro na cabeça. Fiquei pensando nos medos que a diabetes nos dão. Medo de sequelas, medo de não dar conta e o maior medo de todos, medo de hipo.

Eu sempre tive muito medo de passar muito mal, com um hipo severa, e não ter quem me ajude. Porque ficamos meio dopados, tapados, lerdos... E dependentes. Acho que essa é a pior sensação... De que podemos depender de pessoas que talvez não saibam quando e como agir.

Mas a vida é saber lidar com os medos. Hipos acontecem e temos que estar sempre preparados, com coisas fáceis de pegar para corrigir e avisos nas nossas coisas (como cartão de diabetes na bolsa e na carteira).

E bola pra frente, porque graças a Deus dessa vez foi só um baita susto!

E aí? Como foi o seu natal?

Bjinhus

Unknown

Tenho mania de escrever e de ver sempre o lado bom das coisas. Com diabetes desde 2010, acredito que uma vida controlada e divertida é possível sim. Jornalista, creio que posso ajudar os outros a acreditar também. Que saber mais sobre mim? Clica aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário