A TPM e as oscilações glicêmicas

Olá, pessoal

Bom, depois de dois dias meio mal, aqui estou eu para dar notícias... :)

Quando eu soube da Diabetes, tive que mudar meu anticoncepcional. Passei do Alestra 20 para o Cezarette. E aí nas TPMs eu tinhas muitas, muitas hipers. Então, bastava passar um dia com glicemias mais altas do que o normal para matar que ia descer logo logo.

Mas em fevereiro descobri um cisto no ovário e novamente tive que mudar o anti e agora tomo o Diane 35. E vejam só que coisa: agora tenho hipos e mais hipos. No último domingo acordei com 71 mesmo sem ter tomado a basal na noite de sábado.

Tomei café da manhã e a basal normalmente. Antes do almoço estava 52. Comi dois pratos de feijoada. E três horas depois senti um mal estar muito estranho, tontura, calor, enjoo... Fui medir e estava 49!!! Aí eu estranhei. Eu tinha comido dois pratos bem servidos de feijoada não tinha como estar tão baixa... E eu passei bem mal, com sintomas um pouco diferentes do que eu sinto normalmente.

Aí dois dias depois (com mais algumas hipos doidas) e desce.

Fiquei com essa história na cabeça e resolvi fazer uma pesquisinha na internet. Achei a entrevista abaixo publicada no site da Accu Chek e gostei muito do que li. Pelo que é informado, ter mais sintomas de TPM podem demonstrar o quanto suas glicemias vão aumentar. Ou seja, quando mais sintomas você tiver e mais fortes eles forem, o ideal é falar com o seu médico para que seja feito um tratamento e um melhor controle.

Confiram aí:

Utilize o ciclo menstrual a favor de sua glicemia

Ao longo da vida, o ser humano passar por várias fases, entre elas a infância, adolescência, a idade adulta e a maturidade. Em especial, a mulher também passa por fases todo mês após a menstruação, já que parte de seus hormônios aumentam e diminuem dependendo do período do mês. As alterações glicêmicas também acompanham esse processo. 
Para as mulheres que têm vários sintomas no período da TPM e têm dificuldade de fazer o controle da glicemia, o portal Accu-Chek entrevistou a Dra. Patricia Dualib, endocrinologista pediátrica e médica do setor de Endocrinologia da UNIFESP – EPM, para dar dicas de como conviver melhor com o diabetes durante o ciclo menstrual.
Accu-Chek:  Comente como funciona o ciclo menstrual de uma mulher?
No primeiro dia do ciclo menstrual, ou seja, no primeiro dia da menstruação, o hormônio FSH (hormônio folículo estimulante) começa a ser secretado em maior quantidade, fazendo com que os folículos ovarianos comecem a se desenvolver. Ao redor do sétimo dia do ciclo, a secreção de FSH começa a diminuir e só um folículo ovariano continua a crescer. Este em desenvolvimento produz quantidades crescentes de estradiol (hormônio feminino). Quando esta substância atinge seu pico de secreção, há simultaneamente o pico de secreção do LH (hormônio luteinizante, secretado pela hipófise) e ocorre a ovulação. Esta é a primeira fase do ciclo menstrual chamada folicular. A partir desse momento, o folículo transforma em corpo lúteo e passa a produzir o hormônio progesterona. Se não ocorrer a concepção, as concentrações de estradiol e progesterona vão diminuindo até ocorrer a menstruação. Esta segunda fase é chamada de lútea.
Accu-Chek:  Quais são os sintomas que as mulheres apresentam durante o ciclo menstrual?
Durante a segunda fase do ciclo, devido à progesterona, a mulher pode ter retenção de líquidos, o que pode ocasionar edema em membros inferiores e mamas, além de cefaléias (até enxaqueca) e mudanças de humor.
Accu-Chek:  Por que a mulher tem aumento da glicemia no período da TPM? Após a menstruação, por que geralmente cai a glicemia?
Há estudos que demonstram que na fase lútea (segunda metade de ciclo) pode haver menor sensibilidade à insulina, ou seja, uma mesma dose de insulina não é capaz de diminuir a glicemia da mesma maneira. Devido a isto, as pacientes dependentes de insulina precisam de maiores doses deste hormônio neste período. Parece haver correlação com a síndrome de tensão pré-menstrual (TPM), pois quanto piores os sintomas, pior será a glicemia. Pacientes insulinodependentes sem sintomas de TPM, não têm hiperglicemia neste período. Após a menstruação, as glicemias melhoram, pois há aumento da sensibilidade insulínica.
Accu-Chek:  O que as mulheres com diabetes precisam fazer para ter mais controle sobre a glicemia?   
As mulheres com diabetes que têm TPM devem tomar mais cuidado neste período: por exemplo, devem fazer mais glicemias capilares para detectar hiperglicemia. Também é importante maior controle da alimentação e manutenção da atividade física. As pacientes insulinodependentes precisam aumentar a sua dosagem diária de insulina, conforme orientação médica.
Accu-Chek:Qual a diferença para as mulheres que utilizam bomba de insulina?
Não há diferença em relação à bomba de insulina: os cuidados devem ser os mesmos. Existem bombas de infusão de insulina que ajudam a calcular (também com orientação médica) o ajuste das doses neste período.
Accu-Chek:  Além do aumento da insulina, há outros cuidados que as mulheres devem ter no período da TPM com relação à atividade física e alimentação?
Em relação à alimentação, aumentar a ingestão de água (para diminuir a retenção de líquidos), elevar o consumo de vegetais (para aumentar a quantidade de fibras), consumir alimentos ricos em ômega 3 (como salmão e atum), evitar doces, aumentar ingestão de alimentos ricos em cálcio e diminuir o sal.
Com relação aos exercícios, é melhor manter os mesmos já realizados ou iniciar atividade física. É comprovado que atividade física melhora os sintomas da TPM.
Accu-Chek:  Por que as mulheres necessitam ingerir mais açúcar ou alimentos com mais carboidrato nesse período de TPM?
Mulheres com TPM podem ter alteração dos níveis de um neurotransmissor chamado serotonina que é responsável pela saciedade e pela sensação de prazer. A ingestão de chocolates, doces e outros carboidratos levam a secreção de serotonina, levando à sensação de satisfação.
Accu-Chek:  Como prevenir então o aumento da glicemia?
Como a hiperglicemia tem uma forte ligação com TPM, as mulheres com diabetes com esta síndrome devem procurar seu ginecologista para avaliar a introdução de um tratamento. Há mulheres que precisam usar antidepressivos específicos para inibir a recaptação de serotonina (como a fluoxetina). Alimentos mais saudáveis e a prática de atividade física também melhoram a glicemia.
Accu-Chek:  Há alguma relação da cólica e retenção de líquido com aumento da glicemia?
Não. O descontrole da glicemia é relacionado à piora da sensibilidade à ação da insulina. O inchaço e a retenção de líquidos estão ligados à progesterona.
Accu-Chek:  Gostaria de deixar uma mensagem?
A TPM tem vários graus, mulheres que têm TPM grave também apresentam piora da qualidade de vida. As mulheres com diabetes que sofrem de TPM devem conversar com seus médicos. É muito importante a manutenção de um bom controle glicêmico independente da fase do ciclo menstrual.
Pela entrevista, percebe-se que hiper na TPM é quase normal, mas dá pra tomar mais cuidado e prestar mais atenção evitando ter muitas hipers. Mas e quando a glicemia cai demais. Como tem acontecido comigo nos últimos meses?

Sobre isso ainda não encontrei nada específico, mas continuo procurando. Mas por coisinhas gerais que li por aí concluo três coisinhas. A mudança no anticoncepcional influencia e muito nos sintomas da TPM e portanto na glicemia. Assim como o cisto no ovário. E tem ainda outra coisinha, quando mudei o anti passei também a tomar Vitamina E, que entre uma série de benefício diminui bastante a TPM. Se ela diminui, diminui também o aumento da glicemia, portanto poderia acabar dando hipo...

Mas isso são só suposições... Vou ver se descubro mais coisas!

Bjinhus


Luana Alves

Tenho mania de escrever e de ver sempre o lado bom das coisas. Com diabetes desde 2010, acredito que uma vida controlada e divertida é possível sim. Jornalista, creio que posso ajudar os outros a acreditar também. Que saber mais sobre mim? Clica aqui!

4 comentários:

  1. Olá Luana,
    achei super interessante este teu post. Eu sou diabética tipo 1 desde os 8 anos e tenho atualmente 37. Sempre tive este problema da influência do ciclo menstrual na diabetes mas não sabia como geri-lo e agora fiquei com boas dicas para as hiper da TPM. Tenho o mesmo problema das hipos quando a menstruação aparece e o que faço é descer um pouco a basal, contudo nem sempre resulta bem. Tenho um blog sobre diabetes e desporto, cuja gestão também nao é simples, se te interessar o tema, dá uma espreitadela em http://diabetesepicos.blogspot.pt/
    Catarina

    ResponderExcluir
  2. Olá, Catarina

    Que bom que gostou do blog. Eu tenho tentado prestar mais atenção na basal e até que as hipos não foram tão bruscas da última vez. Valeu pela dica. E seu blog é muito legal. O tipo de esporte que eu adoraria praticar!

    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Ola, tenho 26 anos e diabetes desde os 6. Mestruei aos 14 pela primeira vez e minha glicemia sempre aumentou durante minha menstruação. Há alguns meses (não em todos os meses, mas na maioria deles), tenho tido hipoglicemias seguidas durante os dias da menstruação. Não faço uso de anticoncepcionais. Tambem achei bem estranho. Tenho diminuido em 2 UI a minha basal quando percebo que as hipo estão chegando.
    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabriela

      É engraçado como cada corpo reage de um jeito. Por isso, o importante é sempre conhecê-lo bem e saber como agir nas mais diversas situações, né?
      Obrigada pelo comentário! =D

      Excluir