#DomandoaDiabetes: Exames Periódicos Semestrais

O objetivo deste post e do próximo é listar exames que são importantes para entender como o organismo está reagindo ao que fazemos diariamente, mas é claro que a decisão sobre fazer todos eles ou não e a periodicidade pode variar de acordo com as decisões dos médicos que acompanham vocês.

No primeiro post falamos sobre os exames periódicos trimestrais, que como vocês viram são mais voltados para o controle da diabetes, níveis glicêmicos e necessidades de alterações no tratamento.

Agora vai ser possível ver que os exames semestrais focam um pouco mais em possíveis complicações, como alterações na tireoide, risco de doenças cardiovasculares e ainda avaliação da função renal.

Aqui é importante levar em consideração o histórico de doenças da família, até para ficar mais atento a possíveis alterações. E temos que lembrar também que os portadores de diabetes tipo 1 são mais suscetíveis a outras doenças autoimunes, como as que causam alterações na tireoide. Por isso é tão importante fazer todos esses exames com frequência.

Vamos ver cada um mais detalhadamente?


Exames Semestrais
NomeCuidados para FazerPara que serve?
T4Preparação não necessáriaO T4 total e o T4 livre são dois testes distintos que podem ajudar o médico a avaliar a função da tireoide. O teste T4 Total tem sido utilizado há vários anos para ajudar a diagnosticar hipertireoidismo e hipotireroidismo. Trata-se de um exame útil, mas que pode ser afetado pela quantidade de proteína disponível no sangue para se ligar ao hormônio. O teste T4 Livre é mais recente e não é afetado pelos níveis de proteína. Como o T4 Livre é a forma ativa de Tiroxina, o teste T4 Livre é considerado por muitos médicos como um reflexo mais preciso da função do hormônio tireoidiano e, na maioria dos casos, seu uso substituiu o exame de T4 Total. Qualquer que seja o teste de tiroxina solicitado, ele geralmente é pedido em conjunto ou após um teste de TSH. Isso ajuda o médico a determinar se o sistema de feedback (realimentação) do hormônio tireoidiano está funcionando como deveria. Os resultados ajudam a distinguir diferentes causas de hipertireoidismo e hipotireoidismo. Algumas vezes, um teste de T3 também será solicitado para fornecer informações diagnósticas adicionais ao médico.
TSHPreparação não necessáriaO TSH é, com frequência, o teste de escolha para avaliar a função tireoidiana ou sintomas de hipertireoidismo ou hipotireoidismo. Geralmente ele é solicitado em conjunto ou precedendo um teste T4. Outros exames da tireoide podem ser pedidos, incluindo um teste T3 e anticorpos antitireoidianos (se há suspeita de doença tireoidiana autoimune). O teste TSH é utilizado para: diagnosticar um distúrbio da tireoide em uma pessoa com sintomas, triagem de recém-nascidos para uma disfunção da tireoide, monitorar a terapia de reposição de hormônio tireoidiano em pessoas com hipotireoidismo, diagnosticar e monitorar problemas de infertilidade feminina, ajudar a avaliar a função da glândula hipófise (ocasionalmente), e triagem de adultos para distúrbios tireoidianos, embora as opiniões dos especialistas variem sobre qual a população que pode se beneficiar com a triagem e em que idade começar.
TriglicéridesOs padrões atuais recomendam que a colheita seja feita com a pessoa em jejum de 9 a 12 horas. Só é permitida a ingestão de água. Além disso, não deve ser ingerido álcool durante 24 horas antes da colheita.*A medida dos triglicerídeos no sangue em geral é feita como parte de um perfil lipídico usado para avaliar o risco de doença cardíaca. Como parte do perfil lipídico, pode ser usada para monitorar pessoas com fatores de risco de doença cardíaca e aquelas que tiveram infarto do miocárdio ou que estão sendo tratadas por causa de níveis altos de triglicerídeos.
Colesterol TotalSe o teste for parte de um perfil lipídico, é necessário jejum de 9 a 12 horas antes da colheita do sangue. Só é permitida a ingestão de água. *O colesterol é diferente de outros exames porque não é usado para diagnosticar ou monitorar uma doença e, sim, para avaliar o risco de desenvolver uma doença, especificamente doença cardíaca. Como o colesterol alto está associado ao endurecimento das artérias (aterosclerose), a doença cardíaca e ao risco elevado de morte por infarto do miocárdio, o exame é feito como parte da rotina de cuidados preventivos de saúde.
HDL ColesterolComo o exame é, em geral, feito como parte de um perfil lipídico, é necessário jejum de 9 a 12 horas antes da colheita. Só é permitida a ingestão de água. *O exame do colesterol HDL é usado com outros exames de lipídios para pesquisar níveis nocivos de lipídios e avaliar o risco de doença cardíaca. Os níveis de colesterol HDL podem também ser monitorados regularmente pelo médico se exames anteriores mostraram risco aumentado de doença cardíaca ou se a pessoa teve um infarto do miocárdio ou está em tratamento por causa de níveis altos de colesterol.
LDL ColesterolO exame em geral exige um jejum de 12 horas. Apenas é permitida a ingestão de água. *O colesterol LDL é usado para avaliar o risco de doença cardíaca. Entre as formas de colesterol no sangue, o LDL é considerado o mais importante para determinar o risco de doença cardíaca. Como decisões de tratamento com frequência se baseiam nos níveis de colesterol LDL, esse exame pode ser usado para monitorar os níveis, após o início de programas de dieta e exercícios, ou para avaliar se pode ser útil prescrever medicamentos para reduzir os níveis de lipídios.
CreatininaPreparação não necessáriaA creatinina no sangue é usada junto com a ureia para avaliar a função renal, em avaliações de rotina ou para acompanhamento da evolução e do tratamento de doenças renais e doenças que podem comprometer os rins, como diabetes. Usa-se também antes e durante tratamentos que podem prejudicar a função renal, como alguns medicamentos e contrastes radiológicos. Os resultados das dosagens de creatinina no sangue e na urina são utilizados para calcular a depuração da creatinina, que mede a capacidade de filtração dos rins.
UréiaPreparação não necessáriaA dosagem de ureia é usada, principalmente, com a dosagem de creatinina, para avaliar e monitorar pacientes com doenças renais. É feita, também, com frequência como parte de exames de rotina para avaliar a saúde de pacientes.

Nesta postagem, assim como na anterior, eu não específico exames de diagnóstico como teste de tolerância à glicose e glicemia pós-prandial, além de esporádicos para detecção de complicações como RX para medição de idade óssea e pesquisa de doença celíaca, por exemplo. Nem Peptídio C e Anti-GAD comumente usados para confirmação de tipo de diabetes.

Ou seja, a ideia é que uma pessoa com diabetes tenha em mãos uma listinha dos principais exames que tem que fazer todos os anos para o acompanhamento e a manutenção de um bom tratamento.

Lembre-se de seguir as pílulas do conhecimento nas redes sociais (Face, Insta e Twitter - @adiabeteseeu) com a #DomandoaDiabetes!

Espero que tenham gostado. Na próxima semana o assunto são os exames anuais! Acompanhem!

Fontes:
http://www.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/gestor/homepage//linhas-de-cuidado-sessp/diabetes-melitus/anexos/exameslaboratoriaisderotina.pdf
http://www.labtestsonline.org.br/understanding/conditions/diabetes/start/3
https://pt.wikipedia.org/wiki/Glicos%C3%BAria
http://www.diabetes.org.br/sbdonline/images/docs/DIRETRIZES-SBD-2015-2016.pdf

Unknown

Tenho mania de escrever e de ver sempre o lado bom das coisas. Com diabetes desde 2010, acredito que uma vida controlada e divertida é possível sim. Jornalista, creio que posso ajudar os outros a acreditar também. Que saber mais sobre mim? Clica aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário