#DomandoaDiabetes: Família Parceira x Família Polícia

apoio familiar, diabetes, parceira, polícia
- Já mediu?
- Corrigiu o carboidrato disso?
- Vai comer mesmo isso cinco minutos depois de uma hiper?
- E essa hiper aí? O que você comeu?
- Hipo de novo, o que você está fazendo errado?
- Eu falo pra ela fazer, mas ela não faz, não tem jeito!
- Também, não faz nenhuma atividade física!

E se for pra continuar listando vai longe. Agora volte, releia... Você se identifica ouvindo ou dizendo algumas dessas frases? Se é ouvindo, de quem normalmente vem esses comentários e questionamentos?

Como vocês já viram no post anterior, o tema deste mês é Apoio Familiar. E sim, a maioria das cobranças (calma, eu estou comentando vendo daqui do lado do paciente, ok?) vem da nossa própria família.

"Ah, então não devo falar nada? Deixo morrer?". Também não, né? A questão é como apoiar.

Hoje eu convivo com os dois lados. Tenho diabetes e me sinto na obrigação de zelar por alguém que amo e que também tem diabetes. E ao mesmo que me irrito com cobranças do tipo "não vai medir?", me pego perguntando a mesma coisa.

O que é isso? Preocupação! A pessoa que questiona, cobra, pede, praticamente implora, só quer o nosso bem. E ver que a gente não está fazendo aperta o coração de quem se preocupa com a gente. Porque essa pessoa sabe que o mau cuidado traz consequências a curto, médio e longo prazo.

E por que então, quando eu falo ele se irrita e continua não fazendo? Porque a gente sabe que tem que fazer, porque às vezes estamos saturados e precisamos de um tempo. Porque ninguém gosta de ser cobrado. E mais, porque a cobrança faz parecer que estamos de má vontade, quando no fundo só estamos cansados.

Então, como faz? Conversa! É preciso que os dois lados entendam que não é cobrança, é cuidado, preocupação, querer bem. É preciso que os dois lados entendam que furar o dedo, tomar insulina e contar carboidratos é um saco às vezes. É preciso entender que talvez os dois lados estejam precisando de um pouco espaço, de uma diversão despreocupada, de um pouco de risada e brincadeira, de leveza.

É fácil? Não. Mas não custa ir lá medir quando a mãe pede ou dar um voto de confiança de meia horinha pra ver se ele vai medir. Paciência, parcimônia e amor. Não é fácil pra ninguém e como sempre digo juntos somos mais fortes, brigando enfraquecemos os dois lados da corda!

É lembrar de ser sempre mais parceiro e menos polícia. E lembrar que tanto do lado de quem tem a condição quanto do lado de quem se preocupa com uma pessoa que tem existem PESSOAS. Que se amam e se preocupam umas com as outras. Que estão juntas enfrentando quase os mesmos desafios! Parceria sempre, porque de polícia já bastam os outros!

Espero que estas palavras ajudem a dissolver nós e melhorar o convívio em muitos lares! 😘😘😘😘😘 E lembre-se de seguir as pílulas do conhecimento nas redes sociais (Face, Insta e Twitter - @adiabeteseeu) com a #DomandoaDiabetes!

Até a próxima!

Unknown

Tenho mania de escrever e de ver sempre o lado bom das coisas. Com diabetes desde 2010, acredito que uma vida controlada e divertida é possível sim. Jornalista, creio que posso ajudar os outros a acreditar também. Que saber mais sobre mim? Clica aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário