#DomandoaDiabetes: A importância da família no momento do diagnóstico

apoio familiar, família, diagnóstico, diabetes


E o tema deste mês do Domando a Diabetes é Apoio Familiar! E nada mais justo do que começarmos falando sobre a importância da família no momento do diagnóstico e também no entendimento dessa condição.

Sim, a hora em que descobrimos que temos diabetes é horrível. A gente fica sem chão, ninguém sabe o que fazer e parece que o mundo acabou. É esperado chorar, sentir um pouco de desespero e se questionar "onde foi que erramos". E pro resto da família não é nada diferente!

Mas calma, é menos complicado do que parece. Vocês só precisam de informação e amor. Mais do que tudo, vocês precisam se ajudar!

Demonstrem amor: Ninguém tem culpa!

É importante que todos os familiares mostrem que amam uns aos outros. Este não é o momento de procurar culpados (afinal ele não existe mesmo) e muito menos de julgar ansiedades iniciais. Uns vão sentir mais do que os outros e cabe a quem sentir menos apoiar os demais.

Principalmente no tipo 1, a culpa não é dos pais, nem do filho, nem de ninguém. Nos casos deste tipo, a diabetes simplesmente acontece. É não é castigo porque em algum momento você acha que pode ter dado uma bronca mais forte, ter passado por um stress que poderia ter evitado, etc, etc.

No tipo 2, julgar não vai reverter o quadro! Se já se descobriu com diabetes, não adianta nada meter o dedo na cara culpando aquela banana split de 1900.

A realidade mudou, esqueçam o passado, se amem e se apoiem para o futuro!

Busquem informação: Diabetes não é um bicho de sete cabeças!

Entender o que é diabetes, como ela funciona, as melhores práticas para mantê-la sob controle, entre outras coisas são o primeiro passo para ter um tratamento estável e sem complicações. Enquanto você não parar para ler sobre o assunto e se informar vai ser bem difícil mesmo botar as rédeas na situação.

E acreditem, este é um trabalho para ser feito em equipe. Toda a família precisa entender com o que está lidando para ter um cotidiano mais tranquilo.

Mudem o que tiverem que mudar juntos!

É importante fazer atividade física? Então porque não saem todos para caminhar ou todos se inscreverem na academia. É preciso ter uma alimentação mais saudável? Bora todo mundo comer melhor!

É bacana ainda que todos saibam aplicar insulina e medir a glicemia! São coisas simples, mas ver todos participando e mais lidando com tudo isso com leveza torna o dia a dia da pessoa com diabetes mais simples!

Podem parecer coisas bobas e pode parecer ainda que dá pro paciente se virar e fazer todas essas coisas sozinho, mas acreditem ter pessoas do seu lado se esforçando pra te ajudar e te apoiar facilita tudo em pelo menos 50%.

Eu tive muita dificuldade no começo. Primeiro, porque meus familiares ignoravam (eu já era adulta quando fui diagnosticada), depois porque achavam que era fácil demais e então não precisavam fazer nada. Sinto até hoje que poderia ter enfrentado algumas dificuldades com bem menos peso se eles topassem enfrentar alguns desafios comigo.

Então se você aí está lendo este texto porque alguém que você ama foi diagnosticado com diabetes, fique ao lado dele, faça o que puder fazer da listinha acima. Mesmo que seja uma coisa só, vai fazer muita diferença!

Espero que tenham gostado. Semana que vem tem mais! Vou falar sobre como o familiar pode ser menos polícia e mais amigo! E lembre-se de seguir as pílulas do conhecimento nas redes sociais (Face, Insta e Twitter - @adiabeteseeu) com a #DomandoaDiabetes!

Até lá!

Luana Alves

Tenho mania de escrever e de ver sempre o lado bom das coisas. Com diabetes desde 2010, acredito que uma vida controlada e divertida é possível sim. Jornalista, creio que posso ajudar os outros a acreditar também. Que saber mais sobre mim? Clica aqui!

Um comentário:

  1. Adorei o post, tão complicado não haver culpa, minha mãe sempre conta algumas histórias da época do meu diagnóstico (faz 21 anos), toda a sociedade culpava meus pais, dizendo que eu "peguei" diabetes devido a alguns comportamento deles.

    ResponderExcluir