[1 2 3 Testando #Minimed640G ] A importância da calma nas primeiras 36 horas com a bomba

bomba de insulina, sistema de infusão, minimed640G, medtronic, diabetes

Como alguns aqui sabem, eu fui convidada pela Medtronic para testar o sistema de infusão Minimed 640G. E desde segunda que venho aprendendo hora a hora como é estar com um aparelhinho que tem feito aos poucos muito por mim!

Mas vamos do começo. Por que sistema e não bomba? A Medtronic entende que bomba é um aparelho que injeta a insulina apenas. Já o sistema é interligado com um sensor, ou seja, recebe as informações sobre a glicemia e toma uma decisão. E mais, além de decidir, ele age.

Quando coloquei o sistema na segunda, o mantra mais repetido pela educadora foi "deixa o algoritmo trabalhar". Parece fácil, mas não é! Principalmente para quem acabou de sair da MDI (múltiplas doses - com caneta ou seringa). Quando contamos e nos aplicamos, parece que temos um certo controle. E principalmente, quando fazemos isso e funciona, confiar em qualquer coisa diferente dá até um aperto no coração. Ainda mais quando nas primeiras horas tudo o que você vê são sobes e desces estranhos!

No primeiro dia, a sensação que eu tinha era de que estava carregando uma geladeira pendurada na cintura. Parecia um mostrinho do qual eu não tinha certeza se a insulina estava realmente saindo de onde deveria e entrando por onde deveria. Um troção que mostra as doses em mil (rs) e que pirou meu cabeção. Sem falar no medo de derrubar, quebrar, arrancar da pele, torcer o fio.

Medos bobos? Não! Medos apenas. Junta-se a isso o fato de estar com um sensor que eu nunca tinha usado antes me mostrando a cada cinco minutos onde estava minha glicemia e para onde ela estava indo. Uma coisa é ver o antes e o duas horas depois, mas quando 30 minutos depois de comer você vê 160 com três setas para cima (cada seta mostra a tendência de subir e o máximo são três) parece mesmo que você está sendo engolido pela diabetes.

Eu confesso aqui que depois de 24 horas me enroscado, tomando sustos com apitos, vendo gráficos bizarros, tendo hipos, eu me assustei e muito. Questionei a educadora, o sistema, me questionei. Pensei real: ONDE FOI QUE EU AMARREI O MEU BURRINHO??? Afinal estava indo tudo tão bem com a Tresiba!

gráfico, minimed640G, medtronic, diabetes, bomba de insulina, sistema de infusão
Gráfico das primeiras 24 horas com o sistema! 😨😨😨😨😨
Foi quando a educadora da Medtronic me ligou e me pediu só um pouco mais de calma. Apesar do meu desespero interno, eu estava agindo com tranquilidade. E ela disse: "Ainda tem resquícios do seu antigo tratamento, você está tensa, é uma baita mudança. Espera mais um pouco. Amanhã já estará melhor".

Percebi naquele momento que precisava confiar e, mais, que precisava aproveitar este momento para aprender e me conhecer ainda mais. Com a Minimed 640G aprendi a confiar de verdade no algoritmo, que previsão de hipo não é hipo e que é só esperar que com a suspensão a glicemia vai subir. Já aprendi sobre a insulina ativa e como reagir a ela quando a glicemia está caindo. Sobre a importância de corrigir uns dez minutos antes de comer SEMPRE. Mais, aprendi a ficar calma, ler os números, os gráficos, as tendências... E 36 horas depois, eu entendi onde amarrei o meu burrinho! Vi a primeira linha reta do gráfico e valeu a pena!

estabilidade, minimed640G, sistema de infusão, bomba de insulina, diabetes
Três horas de estabilidade total! 😍😍😍
Não vou colocar aqui tudo o que aprendi nestas primeiras horas de "bomba"! Então preparem-se que vem muito post por aí! Peguem suas castanhas, pipocas, refri zero, amendoins, porque vai ter chuva de informação! Aguardem!

Unknown

Tenho mania de escrever e de ver sempre o lado bom das coisas. Com diabetes desde 2010, acredito que uma vida controlada e divertida é possível sim. Jornalista, creio que posso ajudar os outros a acreditar também. Que saber mais sobre mim? Clica aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário